Apesar de ser um veículo revolucionário, vendas ficaram muito abaixo das expectativas.

Segway teve menos de 150 mil unidades vendidas em 2 décadas AP/Sue Ogrocki O Segway, considerado um meio de transporte inovador no começo dos anos 2000, está saindo de linha, segundo site americano Fast Company.

O veículo elétrico de mobilidade individual, na verdade, nunca atingiu o sucesso esperado, e se despede do mercado em julho, com menos de 150 mil unidades produzidas em 2 décadas - muito abaixo da previsão de comercializar 100 mil exemplares no primeiro ano. "Na primeira década, o Segway PT se tornou um item básico em segurança e aplicação da lei, visto como um veículo pessoal eficaz e eficiente", disse, em um comunicado, Judy Cai, presidente da Segway.

Na prática, o Segway possui uma base onde o condutor fica com os dois pés.

O apoio vem de uma haste, e o movimento acontece quando o corpo se inclina para frente.

Há duas rodas, nas extremidades, e um motor elétrico.

O veículo foi inventado por Dean Kamen, e as vendas começaram em 2001.

Na ocasião, seu inventor comparou o Segway à evolução que o carro trouxe em relação ao cavalo.

A produção do Segway PT (como o veículo se chamava oficialmente) será encerrada em 15 de julho, e resultará na demissão de 21 funcionários.

Segway também investiu em patinetes Florence Lo/Reuters A fabricante, que também se chama Segway, no entanto, seguirá com a fabricação de outros produtos de mobilidade, incluindo patinetes elétricos, que se mostraram mais adequados aos desejos do mercado.

Quando foi lançado, o Segway PT custava cerca de US$ 5 mil, valor semelhante ao de uma motocicleta pequena.

Atualmente, o modelo representava apenas 1,5% do faturamento de sua fabricante.