Apenas em maio, o saldo negativo foi de 3,6 vagas.

Maior déficit é registrado em Piracicaba.

A região de Piracicaba (SP) totaliza 6,8 mil postos de trabalho a menos entre janeiro e maio deste ano.

Apenas em maio, o saldo negativo foi de 3,6 mil vagas.

Os dados foram atualizados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, nesta segunda-feira (29). Em maio, a cidade da região com a maior quantidade de postos fechados foi Piracicaba, com 1,7 mil vagas a menos, seguida por Limeira, com 864 negativos.

Na sequência, está Santa Bárbara d'Oeste, com 536 a menos, e Nova Odessa, com déficit de 536 postos. No acumulado do ano, Piracicaba chega a 2,7 mil vagas fechadas, seguida por Limeira (-3 mil), Nova Odessa (- 1 mil) e Santa Bárbara (-725). Cenário em 2019 Entre janeiro e maio de 2019, a região tinha registrado um saldo negativo de 9.201 vagas.

Em Limeira foram abertos 1.523 postos, enquanto em Santa Bárbara d'Oeste foram 1.400 e em Piracicaba, 1.251. Saldo de emprego na região de Piracicaba entre janeiro e maio de 2020 Setores Em Piracicaba, o setor com o maior saldo negativo em maio foi o de serviços, com 1.029 postos a menos, seguido por indústria (-475), comércio (-226) e construção (-75).

Na contramão, a agropecuária teve um saldo positivo de 64 vagas. Em Limeira, o pior cenário foi na indústria, com 411 vagas fechadas.

Na sequência aparecem comércio (-230) e serviços (-199).

A agropecuária teve um saldo positivo de três vagas. Santa Bárbara d'Oeste teve 509 empregos a menos na indústria, enquanto no setor de serviços o déficit foi de 193, seguido pelo comércio (-93).

A agropecuária apresentou abertura de 278 postos. Saldo de emprego na região de Piracicaba em maio de 2020 Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba