David T.

Hines, de 29 anos, obteve empréstimos fraudulentos de US$ 3,9 milhões, segundo as autoridades.

US$ 318 mil foram utilizados na compra de esportivo de luxo.

Lamborghini Huracan Divulgação Um homem usou fundos destinados a ajudar empresas durante a crise de coronavírus para comprar uma Lamborghini Huracan de US$ 318 mil, afirmou o Departamento de Justiça dos Estados Unidos nesta segunda-feira (27).

O valor do modelo é equivalente a R$ 1,6 milhão na conversão atual. David T.

Hines, de 29 anos, foi preso na Flórida e enfrentará processo por ter recebido US$ 3,9 milhões em empréstimos de forma fraudulenta.

Inicialmente, Hines teria pedido US$ 13,5 milhões para que seus negócios pudessem continua durante a pandemia, utilizando comprovantes falsos sobre pagamentos de funcionários e despesas de empresas. Ele acabou conseguindo o financiamento de US$ 3,9 milhões e utilizou parte do montante para comprar um Lamborghini Huracán ano 2020, que ele registrou em seu nome e no nome das empresas.

A denúncia também alega que Hines não pagou os salários de seus funcionários, mas fez compras em resorts e lojas de luxo em Miami, disseram as autoridades.